Uma Sociedade sem Senão

dezembro 31, 2010

Neemias Félix

Se havia uma palavra que me fazia medo quando criança, essa era o senão dos meus pais e professores. Quando ela era pronunciada, podia-se esperar no mínimo uma boa reprimenda oral, passando por uns bons tabefes e, no máximo, uma bela surra. Nessa época não tínhamos adentrado a era do trauma, que só vim a conhecer quando comecei a lecionar, na década de 70.

O mais interessante é que sou o nono filho de uma família de dez irmãos. Todos ouvimos inúmeros senões, tanto de pais quanto de professores, todos levamos tabefes da mamãe e surras do papai e ninguém ficou traumatizado. Se houvesse mesmo essa coisa de trauma, eu seria o mais afetado, já que levei a primeira e única surra do papai aos seis anos e, além de tudo, injustamente.

 

Valeram os senões. Tenho uma família de irmãos maravilhosos, homens e mulheres de bem, honrados, sem nenhum trauma, que sempre honraram seus pais quando estes estavam vivos e hoje ainda honram a sua memória.

 

Crescemos com o senão em nossas mentes, levamo-lo para a escola e outras áreas da sociedade. Era a época em que os alunos respeitavam os professores, senão seriam punidos; tínhamos um respeito quase medo da polícia, senão poderíamos ser presos e isso era uma vergonha para nós; pelos juízes e promotores, então, tínhamos mais que reverência, um verdadeiro temor. Era natural que respeitássemos também os mais velhos, alguns até tomavam bênção a eles.

 

Mas, é claro, os tempos eram outros. Não havia trauma, como já disse, nem ECA nem o pessoal dos direitos humanos para nos para nos ajudarem nas nossas “reivindicações”. Realmente não sei como sobrevivemos naquela época tão violenta sem essas entidades tão importantes, não é mesmo? Talvez por isso hoje o mundo ande assim tranqüilo, sem garotos nas ruas fumando crack, sem violência infanto-juvenil, sem alunos peitando e agredindo professores, sem prostituição por todo canto.

 

Vamos deixar de ironia e hipocrisia! Uma sociedade sem senão é uma sociedade permissiva, com frouxidão de costumes, pusilanimidade de leis, sem temor a Deus e às autoridades constituídas, perdida nos labirintos da sua própria devassidão, sufocada no vômito da imoralidade e no sangue do haraquiri da sua própria covardia.


 

Anúncios

IAE em São José dos Campos possui vaga para para bolsista CNPQ

novembro 22, 2010

O valor da bolsa é de R$ 3.000,00, pelo que me informaram.

—————————————————————————

PROJETO

Em resposta ao Edital MCT/CNPq/AEB nº 33/2010 – Formação, Qualificação e Capacitação de RH em Áreas Estratégicas do Setor Espacial, o IAE (Instituto de Aeronáutica e Espaço), de São José dos Campos, SP, submeteu e teve aprovado, o projeto intitulado “Verificação e Validação de Sistemas de Software para Projetos Espaciais” (N°do processo: 559973/2010-1).

Este projeto visa à formação, à capacitação de recursos humanos e agregação de especialistas que possam contribuir para a Verificação e Validação (V&V) de sistemas de software espaciais empregados no desenvolvimento e inovação tecnológica de veículos espaciais brasileiros, em particular nos lançadores de satélite.

BOLSA

Busca-se bolsista DTI-B (Desenvolvimento Tecnológico e Industrial), categoria Fomento Tecnológico e Extensão Inovadora, do CNPQ.

O candidato à bolsa deverá:

a) ser brasileiro ou estrangeiro residente e em situação regular no País; e

b) ter seu currículo cadastrado e atualizado na Plataforma Lattes, o qual comprovará a experiência profissional em atividades de pesquisa, desenvolvimento ou inovação de, no mínimo, dois (2) anos.

EXPERIÊNCIA

O candidato deverá ter conhecimento em técnicas de Análise de Dependabilidade, Tolerância a Falhas e técnicas formais de Verificação e Validação (V&V) de software.

TRABALHO

O trabalho a ser desenvolvido pelo bolsista consiste em:

– estudo e aplicação de técnicas de dependabilidade para software crítico de sistemas (como as técnicas aplicadas para RAMS – Reliability, Availability, Maintainability,Safety), em particular as propostas pela ESA e NASA (HAZOP, SFMEA e SFTA, por exemplo);

– definição de um estudo de caso, baseado em modelos de requisitos de um software para controle e seqüenciamento de eventos de um veículo espacial (baseado no Veículo Lançador de Satélites (VLS) brasileiro) para aplicação destas técnicas de dependabilidade.

LOCAL:

Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE)
São José dos Campos (SP) Brasil

CONTATO

Dr, Carlos H. N. Lahoz
Coordenador do Projeto
55 12 39474901 work
55 12 97131177 mobile
e-mail: lahozchnl@iae.cta.br